Cerimônia de ingresso decorreu na manhã deste domingo, perante a presença de elementos do corpo ativo e familiares.

Os Bombeiros Voluntários de Marco de Canaveses têm desde este domingo mais nove bombeiros no seu corpo ativo, com a particularidade de serem todas mulheres.

Joana Silva é filha de bombeiro e é uma das jovens que a partir de hoje veste a farda da corporação na sua missão de proteção de pessoas e bens.

“Quase que nasci aqui e esta sempre foi a minha segunda casa. Como todas as minhas colegas, estou aqui para ajudar a sociedade”, referiu a jovem de 19 anos, que representa a média de idades das novas bombeiras.

O ingresso no corpo ativo aconteceu na manhã deste domingo, perante a presença de vários bombeiros e dos familiares das jovens que acompanharam a cerimónia.

De acordo com o comandante dos Bombeiros de Marco de Canaveses, a situação pandémica que se vive atrasou a normal formação da escola de bombeiros, pelo que só hoje foi possível ingressar as nove bombeiras no quadro da corporação.

À parte este atraso, Sérgio Silva destacou “o feito inédito de termos uma escola de formação composta apenas por mulheres”, algo que considerou “inédito na corporação”, destacando, no entanto, que “fazem um trabalho exatamente igual aos homens”.

O comandante desejou ainda uma grande carreira às agora jovens bombeiras, “sempre com segurança e na defesa dos valores que os bombeiros defendem”.

Aumenta o número de bombeiras

Já Fernando Nazário, atual presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Marco de Canaveses, destacou o desafio que o crescente interesse das jovens mulheres coloca nas corporações.

“Que me lembre, há 20 anos tínhamos 11 mulheres no corpo ativo, hoje serão à volta de 40 bombeiras. Naturalmente que este aumento obriga a que cada vez mais haja condições para albergar jovens do sexo feminino, mas é óbvio que a alegria de ver estas jovens aderir à causa dos bombeiros supera isso tudo”, concluiu o dirigente da associação humanitária.

Fonte: AVerdade