Global Imagens

O concelho de Viseu conta este verão com 39 operacionais em permanência afetos ao combate de incêndios, entre os 12 bombeiros sapadores, os 17 bombeiros voluntários e os 10 sapadores florestais, disse hoje o presidente da Câmara Municipal de Viseu.”Odispositivo municipal de combate a incêndios conta em permanência, para um combate imediato, com uma força de 12 bombeiros sapadores, 17 bombeiros voluntários e 10 sapadores florestais, distribuídos por três centros operacionais, diminuindo assim o tempo de resposta”, explicou António Almeida Henriques.

Na visita realizada na tarde de hoje aos dois quartéis das duas corporações de bombeiros do município, Sapadores e Voluntários, o autarca explicou que a decisão de manter o quartel dos Sapadores do centro da cidade ativo, após a inauguração do novo, em julho de 2019, foi “precisamente com esse intuito, de ter três centros operacionais” no concelho.

O autarca começou por dizer que hoje visita os operacionais para, “simbolicamente, demonstrar total apoio” e pedir aos bombeiros que “tenham sempre como prioridade a segurança, a deles e a da população que servem”, para de seguida deixar outro alerta.

“Se as condições o permitirem, procuraremos diminuir o número de ignições, reduzir a área ardida, o número de reacendimentos e garantir a permanente monitorização, coordenação, comando, controlo e comunicação”, assinalou.

O edil destacou ainda o investimento do município na proteção civil, desde que tomou posse, em 2013, nomeadamente em matéria de recursos humanos, uma vez que “esta é a terceira vez que se faz um reforço do Corpo de Bombeiros Sapadores: sete em 2015, mais 12 em 2018 e haverá mais 12 em 2020”, uma vez que vai ser aberto um concurso de recrutamento.

A par disso, a autarquia fez “um enorme esforço para cumprir as suas obrigações e dar o exemplo na prevenção dos incêndios”, com uma verba anual de aproximadamente 400 mil euros alocada à gestão do combustível.

António Almeida Henriques na tarde de hoje passou também no quartel dos Bombeiros Voluntários de Viseu, para deixar palavras de “apoio e incentivo” antes da época de combate aos incêndios florestais e onde, nos últimos sete anos, já deixou 650 mil euros de apoio financeiro.

“Para fazer face à quebra de receitas resultante do momento complexo que atravessamos, antecipámos a entrega de um apoio financeiro de 55 mil euros à Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Viseu”, lembrou o autarca, sublinhando que o que estava em causa era garantir “as condições necessárias para a corporação efetuar o seu trabalho”.

A tarde dedicada à proteção civil terminou com a entrega do autarca ao diretor do Aeródromo Municipal Gonçalves Lobato, de uma viatura nova, “um investimento de mais ou menos 40 mil euros, que vai permitir fazer transporte de carga ou mesmo reboque de aviões, por exemplo”, substituindo assim, explicou Almeida Henriques, “a velhinha 4L, que vai continuar ao serviço, mas sem a responsabilidade que tinha”.

Fonte: Agência Lusa