Os bombeiros de Proença-a-Nova, que têm metade da frota de viaturas de combate a incêndios inoperacional, lançaram uma campanha de angariação de fundos para fazer face às despesas de aquisição e reparação de veículos.

“Temos uma viatura irrecuperável, outra que não nos parece ser recuperável devido aos estragos e à idade (37 anos), que dificulta o arranjo de peças, e temos mais uma para recuperar”, disse à agência Lusa, o comandante dos Bombeiros Voluntários de Proença-a-Nova, Tiago Marques.

Três dos seis veículos de combate a incêndios dos bombeiros de Proença-a-Nova, no distrito de Castelo Branco, ficaram destruídos durante os grandes incêndios que assolaram este ano a região e que destruíram perto de 15.000 hectares de floresta só no concelho de Proença-a-Nova.

“A campanha de angariação de donativos começou na segunda-feira e vamos tentar arranjar dinheiro para fazer face às despesas que temos, não só para aquisição e reparação de viaturas, como também para a aquisição de equipamentos de proteção individual”, explicou Tiago Marques.

O responsável adiantou que a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), só contribui com 80% do valor base do veículo que está irrecuperável e 30% para os restantes dois veículos.

Terminada a campanha de combate aos incêndios de 2020, os soldados da paz começaram já a trabalhar para a época de 2021.

“Temos como objetivo angariar 507 mil euros para a aquisição de viaturas novas e reparações avultadas nas existentes até ao início do próximo verão. Não vamos endividar a associação humanitária. Se não o conseguirmos, o nosso trabalho fica comprometido”, alertou.

Os Bombeiros de Proença-a-Nova apelam à ajuda de todos para conseguirem atingir o objetivo: “Contamos com o vosso apoio, para conseguirmos estar mais e melhor preparados para vos socorrer e para continuar a defender a nossa floresta, o nosso território”.

Quem quiser contribuir para esta campanha pode consultar e obter mais informação em http://bvproencaanova.pt

Fonte: Agência Lusa