A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Fornos de Algodres (AHBVFA) recorreu à medida de ‘lay-off’ devido à redução do serviço por causa da pandemia da covid-19, mas a direção garante que “todos os serviços estão assegurados”.

“Como houve uma redução de mais de 40% dos serviços, nós achámos por bem, antes de haver rutura de financiamento para pagar os ordenados, como nós esperamos pagar ao fim do mês, entrar em ‘lay-off’ [dispensa temporária de trabalhadores, que figura entre as 30 medidas que o Governo adotou para conter os efeitos da pandemia da covid-19 nas empresas]”, explicou hoje à agência Lusa o presidente da AHBVFA, Fernando Rodrigues.

Apesar da situação, que é justificada por precaução, o dirigente dos bombeiros voluntários de Fornos de Algodres, no distrito da Guarda, garante que “todos os serviços estão assegurados”.
“Estão diariamente oito funcionários no quartel para assegurar toda a emergência que haja e temos equipas de prevenção, caso haja alguma situação mais gravosa”, afirmou.

O responsável sublinhou que a equipa de intervenção permanente “está a trabalhar a 100%” e os outros funcionários da instituição “a 50%”, devido ao ‘lay-off’ em vigor. Segundo o dirigente, a instituição entrou em ‘lay-off’ no mês de março e a medida será reavaliada este mês, em função da atual situação, embora aponte que devido à pandemia “90% dos serviços” de transportes de doentes não urgentes “foram cancelados”.

A AHBVFA foi fundada no dia 03 de dezembro de 1948 e possui um corpo ativo composto por cerca de 70 bombeiros voluntários. Portugal regista 629 mortos associados à covid-19 em 18.841 casos confirmados de infeção, segundo o boletim diário da Direção-Geral da Saúde (DGS) sobre a pandemia. Relativamente ao dia anterior, há mais 30 mortos (+5%) e mais 750 casos de infeção (+4,1%).

Fonte: Correio da Manhã