Petição “Exigir o acesso dos serviços de emergência (112) à localização de cidadãos que precisam de auxílio”.

Um cidadão morador em Gondomar está a levar a cabo uma petição que exige a georreferenciacão de chamadas de emergência.

Tudo começou após Rui Sá Carneiro ter assistido em Braga, na saída para a A11/A3 da Circular Interna de Braga, a acidente que acabou com a morte de um motard famalicense, José Manuel Silva, de 49 anos e conhecido por “Zeca” (ver aqui).

«Fui o primeiro a parar para prestar auxílio, quando verifico que ele se encontrava inconsciente dando o seu último suspiro, entrou em paragem cardiorrespiratória. Após a terceira tentativa de contactar o 112, deparo-me com outro problema, eles entenderem onde me localizava mesmo dando todas as minhas informações disponíveis e as de outras pessoas que também pararam. Após isso, pensando eu que o auxílio seria célere ainda recebo mais 3 chamadas tanto do INEM como da GNR para descobrirem o local, e falamos de algo simples como o acesso a uma auto-estrada», conta a este jornal.

O peticionário número um lembra que «o processo de georeferenciação das chamadas de emergência, algo já anunciado pelo Governo mas que nunca foi implementado».

«Constava num plano do Governo de António Costa, em 2017, inserida no pacote chamado ‘Simplex+2017’, que visava mais de 100 novidades a implementar. Nunca chegou a ser concretizada», frisa Rui Sá Carneiro.

A petição “Exigir o acesso dos serviços de emergência (112) à localização de cidadãos que precisam de auxílio” já tem mais de 1700 assinaturas.

Fonte: Diário do Minho