Paredes: Encontro juntou 200 bombeiras de todo o país para discutirem desafios da profissão

O quartel dos Bombeiros Voluntários de Paredes foi palco, na manhã deste sábado, do “VI Encontro Nacional de Mulheres Bombeiro”. O evento juntou 215 operacionais de todo o país, em especial das zonas Norte e Centro, para a partilha de experiências e desafios da profissão.

Este evento teve como objetivo realçar a importância do papel da “mulher bombeiro”, nas várias vertentes: como dirigente, voluntária, profissional, membro do comando e da formação.

Em declarações ao Jornal A VERDADE, o presidente da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Paredes, Mário Sousa, começou por demonstrar satisfação pela realização do evento, que diz ser “heterógeneo” e que valoriza o papel das mulheres bombeiro, já que, segundo o mesmo, “o número tem subido”.

O presidente da corporação explicou ainda que a oportunidade da instituição ser o palco escolhido para a realização da sexta edição do evento resultou de uma candidatura e pelo facto de “Paredes ser mais central, ter melhores acessibilidades e ter condições logísticas suficientes para receber bem”.

Além disso, o acolhimento do “VI Encontro Nacional de Mulheres Bombeiro” aconteceu num ano que é de festa para a corporação paredense. Mário Sousa contou que “guardamos este evento para um ano que é de festa e para marcar o encerramento dos 135 anos, que celebramos este ano”.

O evento que marcou o fim das celebrações do 135º aniversário dos Bombeiros Voluntários de Paredes arrancou às 09h00 e contou com dois painéis de oradoras.

No primeiro painel, os temas em destaque foram “A mulher bombeiro voluntária”, “A mulher bombeiro profissional” e “A mulher na Força Especial de Proteção Civil”, com a moderação de Sofia Ribeiro, jornalista dos Bombeiros de Portugal e presidente da Assembleia Geral da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Cascais.

Joana Carneiro, jornalista da Agência Lusa e vogal da direção da AHBV de Santo Tirso, foi a moderadora do segundo painel que contou com temas como: “Comando no Feminino”, “A mulher dirigente associativa” e “A mulher na formação dos bombeiros”.

Entre as oradoras, discursaram duas operacionais da corporação anfitriã do evento: Ana Moreira, bombeira de primeira classe, e Cláudia Costa, bombeira estagiária.

Ambas contaram, na primeira pessoa, o que é ser mulher bombeiro e quais são os desafios inerentes à profissão e ao ato de voluntariado. Ana Moreira referiu que o objetivo primordial é “transmitir que conseguimos conquistar cada vez mais um espaço que era ocupado, maioritariamente, por homens” e dá o exemplo da corporação paredense: “Estamos já com um efetivo de 40% de mulheres”.

Quando questionada sobre a capacidade de conciliar a vida de mulher bombeiro com a vida particular, Ana Moreira realçou a importância da “retaguarda familiar”.

Fonte: A Verdade