Um incêndio urbano de grandes dimensões destruiu por completo um dos três armazéns têxteis da antiga fábrica da Cuca, em Moreira de Cónegos, Guimarães. A propriedade do edifício é de Vítor Magalhães, presidente do Moreirense Futebol Clube.

O alerta para os Bombeiros Voluntários de Vizela foi às 00.48 horas e só perto das três da manhã é que o fogo começou a ceder ao combate dos Bombeiros. Após o alerta, a corporação vizelense até chegou rapidamente ao local, mas já parte do armazém estava tomado pelas chamas e o acesso à zona da combustão estava dificultado.

“Uma das áreas da empresa, no armazém, estava repleta de fio e foi o que teve a combustão. A estrutura desse armazém cedeu, mas foi possível conter o fogo e impedir que ele progredisse para os edifícios contíguos”, disse, ao JN, o comandante dos Bombeiros de Vizela, Paulo Félix.

Para além da corporação de Vizela, foram chamadas mais quatro corporações de Bombeiros Voluntários: Guimarães, Taipas, Famalicenses e Riba de Ave. Ao todo, estiveram no local 54 bombeiros em 19 viaturas, mais a Proteção Civil Municipal de Guimarães, uma máquina de arrasto, outra giratória e a GNR de Lordelo, que tomou conta da ocorrência.

O incêndio foi considerado dominado perto das quatro da manhã, mas os trabalhos de rescaldo vão-se prolongar durante o dia de domingo. Desconhece-se, para já, a origem do fogo. Os prejuízos são elevados tendo em conta que todo o fio que estava naquela área do armazém foi consumido pelas chamas. A estrutura da fábrica também sofreu danos consideráveis, com o desabamento do telhado e de uma parede.

A antiga fábrica da Cuca, junto ao apeadeiro com o mesmo nome, está situada na rua de S. Paio Padroeiro, em Moreira de Cónegos, e é um dos maiores edifícios industriais do concelho de Guimarães. A empresa que lhe dá o nome chegou a ter mais de mil trabalhadores, mas entrou em falência com um passivo superior a 35 milhões de euros. O edifício foi comprado em 2007 por Vítor Magalhães, presidente do Moreirense Futebol Clube, por três milhões e meio de euros.

Pelo que foi possível apurar no local, à data do incêndio Vítor Magalhães encontrava-se na festa de Natal de uma das suas empresas, a fábrica de tecidos Vilarinho. Tinha-se deslocado para a festa após ter estado no Estádio Comendador Joaquim de Almeida Freitas, em Moreira de Cónegos, onde viu o seu clube bater o Boavista por 2-1

Fonte: JN